19 Jun

“E” de não Especular

Especular ou investir?

O temor ao mercado acaba afastando um potencial investidor, com medo de ver seu patrimônio perder valor diante das especulações. O especulador está sempre ligado no preço da ação e não no valor da empresa.
O conceito de investidor nos remete à ideia de uma pessoa mais segura, preocupada com a rentabilidade e os frutos colhidos a longo prazo, sendo o contrário do especulador, que está a todo momento variando suas aplicações, com ansiedade de ganhos a curto prazo, assumindo riscos de perda a todo momento.
Certa vez um amigo havia comprado ações da AMBEV e logo em seguida o preço das ações caíram. Ele entrou em desespero e foi recorrer ao seu sogro, investidor de longa data. Experiente e seguro do investimento, com toda calma foi lhe explicando a sua trajetória que o levou até a condição atual, recebendo seus dividendos, e mesmo com ações em queda a empresa se manteve pagando bons dividendos, conservando os rendimentos dos seus investidores. Enquanto um sofria com a queda do preço da ação o outro sorria de orelha a orelha por causa do crescimento dos dividendos ano após ano.

Os especuladores, conhecidos como traders, costumam se manter ligados o tempo todo no mercado, observado pequenas variações para acumular seus ganhos a curto prazo.
Isso requer uma análise bem dinâmica de mercado.
Já os investidores, preferem observar bastante e fazer uma análise fundamentada nos ganhos mais seguros, visando rentabilidade permanente sem correr grandes riscos.

Um investidor participa na construção de um projeto, um negócio empresarial e no financiamento de uma atividade. Tem interesse em receber dividendos decorrentes do sucesso da empresa na qual investiu ou juros pelo financiamento que providenciou.

Um especulador, por sua vez, apenas quer ganhar dinheiro através da valorização ou desvalorização de um ativo. Se der para ganhar dinheiro através de posições curtas (posição de venda) até é melhor pelo potencial ganho em um espaço muito curto de tempo.